Pra que usar nofollow?

Saiba se você deve usar ‘nofollow’ nos links do seu site

Muitos clientes me perguntam sobre como instalar a tag “nofollow” em seus links, mas eu sinto que eles não entendem muito bem a importância de usar (ou não) essa tag. Ela existe para sinalizar para os mecanismos de busca: “por favor, não siga esse link específico”. Mas quais as razões de sinalizar um link para ele não ser seguido? Abaixo, uma ótima explicação do suporte do Google:

  • Conteúdo não confiável: se você não puder ou não quiser dar aval ao conteúdo das páginas para as quais você criou links em seu site (por exemplo, comentários de usuários não confiáveis ou informações no livro de visitas) você deve usar o nofollow com esses links. Isso pode desencorajar autores de spam a atacar o seu site, e ajudará a evitar que o seu site passe o PageRank a vizinhos suspeitos na Web. Em particular, autores de spam em comentários podem decidir não atacar um sistema de gerenciamento de conteúdo específico ou um serviço de blog se observarem que os links nesses serviços têm o atributo “nofollow”. Se você deseja demonstrar seu reconhecimento e recompensar seus colaboradores de confiança, é possível remover automática ou manualmente o atributo nofollow nos links postados por membros ou usuários que contribuíram com consistência e qualidade ao longo do tempo.

 

  • Links pagos: a classificação de um site nos resultados de pesquisa do Google é parcialmente baseada na análise daqueles sites que têm links para ele. Para evitar que links pagos influenciem os resultados de pesquisa e afetem os usuários negativamente, solicitamos aos webmasters usar nofollow nesses links. As diretrizes de mecanismos de pesquisa exigem a divulgação automática de links pagos, da mesma maneira que os consumidores on-line e off-line preferem a divulgação de relacionamentos pagos (por exemplo, um anúncio de página inteira em um jornal com o título “Publicidade”). Mais informações sobre a posição do Google em relação a links pagos.

 

  • Priorização de rastreamento: os robôs dos mecanismos de pesquisa não podem fazer login nem participar como membro do seu fórum, então não há motivo para convidar o Googlebot para seguir links de “registre-se aqui” ou “faça login”. O uso de nofollow nesses links permite que o Googlebot rastreie outras páginas que você preferiria ver no índice do Google. Porém, uma arquitetura sólida de informações (navegação intuitiva, URLs convenientes para o usuário e os mecanismos de pesquisa e assim por diante) tem maior probabilidade de ter um uso produtivo dos recursos do que quando o foco é na priorização de rastreamento por meio de links classificados como “nofollowed”.

Como usar “nofollow”?

A tag deve ser colocada junto ao link. Exemplo:  <a href=”url-do-link” rel=”nofollow” target=”_blank”>link ou imagem</a>. Nesse código, o rel=”nofollow” sinaliza aos motores de busca a não seguirem o link e o target=”_blank” força o link a ser aberto em uma nova página ao ser clicado.

Se você usa WordPress, por padrão ele já coloca essa tag nos links que aparecem nos comentários. Infelizmente, isso não chega a fazer os spammers desistirem e tira a possibilidade dos motores de busca seguirem pessoas que comentam nos blogs, o que eu acho uma pena, pois essa troca de contato sempre foi muito importante na blogosfera. Infelizmente, os spammers estragaram isso.

Se você não se sente confortável colocando essas tags nos links, pode instalar um plugin. Eu, particularmente, gosto do plugin “Title and NoFollow for Links” porque ele adiciona a opção de nofollow já no botão inserção do link. Então, não fica tudo automático, mas fica fácil pra você escolher em quais links colocar a tag.

screenshot-1

Existem plugins que colocam a tag em todos os links, mas eu não indico, principalmente porque eu acho importante ter um certo controle sobre com o site funciona e sempre, sempre, ter uma estratégia. Eu adoro saber que quando indico um trabalho, serviço ou um blog que eu realmente gosto, talvez a busca vai seguir o link e dar mais valor para esse site. Nem que seja só um pouco, apenas o meu link, eu já acho que vale a pena!

Sobre o Vídeo

No vídeo acima, Matt Cutts, do Google.